Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

Guerreiros – por Augusto Branco

O ano se finda e deixo aqui um texto do poeta Augusto Branco para que possamos refletir em prol de mais humanidade, de mais cidadania, de mais amor e compaixão.