Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

actionQuantas palestras você já participou ressaltando a importância do poder do pensamento positivo em sua vida? Quantos gurus disseminaram a filosofia de que tudo começa em sua mente antes de se concretizar? Quantos artigos e livros já lemos sobre o poder da mente? Quantas histórias conhecemos sobre pessoas que adoeceram ou se curaram de repente sem explicação alguma?
São exatamente naqueles momentos em que tudo parece estar fora de controle e as coisas vão mal é que as suas competências fazem a diferença.

Como diz o provérbio Russo “Reza, mas não deixes de remar para a margem”.

Você certamente já ouviu falar de Iceberg (do inglês ice, “gelo” + sueco e alemão Berg “montanha”). O Iceberg tem uma característica muito interessante , apenas 10% da sua massa fica acima da linha d’agua , os 90% restantes está submerso.

Semelhante ao iceberg a maior parte da sua capacidade está oculta dentro de você mesmo. As pessoas apenas enxergam aquela pequena fatia que desejamos ou conseguimos expressar, ou seja, maioria de nós não utiliza a maior parte de suas habilidades e talentos com eficiência, batizei isso de efeito iceberg.

O termo efeito iceberg também é aplicado em gerenciamento da qualidade Total quando os problemas que se encontravam “encobertos” começam a vir à tona, dando a impressão de que “as coisas estão piorando” ao invés de melhorar.
Segundo os especialistas o efeito iceberg é um bom indicador, uma vez que os problemas que se encontravam mascarados e invisíveis passam a ser identificados e solucionados.

Isso também ocorre na esfera pessoal e profissional, quando iniciamos qualquer processo de mudança de comportamento encontramos muitas barreiras e alguns comportamentos deletérios brotam e ao invés de enxergarmos uma oportunidade de melhoria e desenvolvimento , nos assustamos e instintivamente os escondemos abaixo da linha de visão das pessoas.
Rich Fettke conferencista, coach e autor do livro “Extreme Success” alerta para um dos mais importantes conceitos já descobertos no campo da performance humana o chamado “conceito da vitória por um décimo”. Este conceito, ou princípio estabelece que “pequenas diferenças em uma habilidade podem causar enormes diferenças nos resultados”.

Isso significa que com apenas um pequeno esforço a mais você pode melhorar em muito os resultados obtidos, mas por outro lado também significa que pequenas sabotagens podem trazer péssimos resultados. Estas pequenas sabotagens são resultantes das crenças limitantes que cada um impõe a si mesmo.

Sabemos que algumas vezes somos fracos; ora lutamos, ora desistimos; ora nos sentimos fortes outras nem tanto, ora sorrimos, ora choramos; ora confiamos, ora duvidamos. Mas precisamos estar firmes em nossos objetivos, não podemos deixar de acreditar em nossa força interior, nem nas forças ao nosso redor.
O Fracasso e o sucesso, por exemplo, são hiperestimados, não conheço ninguém de sucesso que não tivesse uma historia de fracasso e aprendizado para contar.

A maioria das pessoas em nossa cultura foi programada para temer essa coisa chamada fracasso, (uma crença que estragou a vida de muita gente), parece que temos a obrigação de estar sempre certos, não temos o direito de “dar com os burros n’agua” e se isso acontecer será marcado para todo o sempre. Por isso não há essa coisa chamada de fracasso ou sucesso isso é relativo. Há somente resultados.

Desconfio de pessoas que somente tem historias de sucesso para contar que ficam falando de como são perfeitas e bem sucedidas. Isso não existe, as pessoas verdadeiramente de sucesso convivem com a sobra do fracasso frequentemente e fazem dela uma fonte de energia para atingir seus objetivos.

Não existe certeza, atualmente apesar de todas as religiões, credos, orações, preces e espiritualidade existentes ainda enfrentamos um grande desafio pessoal, muitas pessoas ainda não conseguem ter fé em si mesmas.Tudo se resume a uma questão de atitude! Por isso menos oração e mais ação.

 

Roberto Recinella possui M.B.A pela FGV e Ohio University em “Gestão de pessoas em ambiente de mudanças”. 

Idealizador da PHD – Pharmácia do Desenvolvimento Humano , a 1ª Farmácia Comportamental do Mundo. 

Formado em Coaching pela Academia Brasileira de Coaching licenciada pelo BCI – Behavioral Coaching Institute, utilizando a Filosofia Willpower . 

Eleito um dos 25 maiores nomes em motivação corporativa no Brasil sendo um doscolaboradores do livro “Gigantes da Motivação” Ed Landscape, 2007.