O termo da moda atualmente é Sustentabilidade. Sustentabilidade é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Ou seja, a sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro.

Refleti muito a respeito do que seja “suprir as necessidades atuais dos seres humanos”. Para mim esta frase pode ser a chave do sucesso ou não, pois quais são as necessidades do ser humano que vive em grandes centros e que têm um poder aquisitivo mais alto? Quais são as reais necessidades destes seres?

Quando vejo as pessoas dentro dos shoppings centers comprando e consumindo de maneira descontrolada pergunto, quais seriam de fato as necessidades básicas destas pessoas?

Os pais para suprir a ausência e a distância que mantém de seus filhos devido ao excesso de trabalho, compram de tudo para os filhos criando o hábito consumista imaginando estarem de alguma forma compensando a falta de atenção. Qual é a necessidade básica destes filhos? O que estes pais estão ensinando para estes filhos?

Vejo muitas discussões e debates a respeito de ecologia, de sustentabilidade, do meio ambiente, a respeito de novos processos de reciclagem, etc. Mas tenho a sensação de que tudo gira em torno do externo, como se o homem não fizesse parte da natureza.

Toda mudança sugerida é externa. Penso que enquanto o homem não mudar, muito pouca evolução conseguiremos obter em curto prazo.

A mudança tem que começar dentro de cada um de nós. Temos que rever nossos conceitos, nossos valores e principalmente repensar no que iremos deixar de legado para as novas gerações.

Precisamos reciclar o Ser Humano!

Faça um exame de consciência. Será que tudo o que você consome é apenas para suprir as suas necessidades básicas? Afinal quais são as suas necessidades básicas? Faça uma análise honesta e sincera consigo mesmo. Faça uma lista de todas as vezes que você se deixou seduzir pelo supérfluo, pelo modismo, pelo consumismo, pelo status, pela vaidade. Será que tudo que está no seu guarda-roupas, na sua dispensa, na sala de sua casa realmente eram itens de necessidade reais ou seriam fruto das necessidades criadas pela geração do TER?

Hoje as pessoas são avaliadas pelo que elas Têm e não pelo que elas São. O TER é mais valorizado que o SER.

E se o TER é tão importante como iremos influenciar o desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente? As pessoas “necessitam” de couro legítimo, de pó de ouro flutuando no drink, do marfim, das vieiras de peixes raros, entre milhões de outros artigos.

Tomemos como exemplo o advento do ano:  o casamento real. O que representa toda aquela “riqueza”? Bombons revestidos do ouro! Milhões de pessoas pelo mundo morrendo de fome e o exemplo dado pela família real é ostentação e consumismo puro. Os atuais príncipes deveriam ser os primeiros a darem o bom exemplo, principalmente por serem da nova geração. E a imprensa? Cultuam o acontecimento como se fosse um fato importante para a humanidade. O que este acontecimento que vai parar o mundo tem haver com as necessidades deste planeta, do ser humano? A atenção se volta por completo para um fato que em nada fará diferença em nossas vidas e principalmente na vida das gerações futuras.

Será que a imprensa faria uma cobertura tão expressiva para mostrar algum acontecimento relacionado à melhoria do nosso eco sistema ou como devemos reciclar o nosso lixo? Será que as pessoas acordariam às 6 horas da manhã para ficar na frente da televisão para assistir o programa de ecologia com a mesma curiosidade e disponibilidade que estarão na frente da TV para ver o casamento real?

Precisamos rever nossos valores, precisamos nos respeitar e ter amor próprio. As práticas atuais demonstram que o ser humano perdeu há muito tempo o respeito por si mesmo. A partir do momento que não reciclo o lixo, que compro produtos que agridem a natureza, que jogo lixo pela janela do carro, que varro a calçada da rua com o jato de água, o assunto sustentabilidade não passará de um modismo e custará a trazer os benefícios que tanto precisamos.

Ouço sempre a mesma frase: o planeta esta morrendo, os homens estão matando o planeta. Tenho uma visão contrária deste pensamento. Penso que o ser humano está morrendo, que o ser humano está se matando. Quando somos capazes de poluir a água que garante a nossa sobrevivência isto não é seria uma forma de suicídio coletivo? No fundo, tudo o fazemos ao meio ambiente e tudo o que deixamos de fazer é uma forma de autopunição e, acima disto é ter um grande senso de impunidade e se achar superior a toda a natureza como se não fizéssemos parte da mesma.

A mudança tem que ocorrer o quanto antes, tem que ocorrer dentro de cada um de nós. A necessidade de uma nova consciência e criação de novos valores se faz fundamental para a sustentabilidade não do planeta, mas para a sustentabilidade do ser humano que aqui habita. A condição do planeta será resultado de um novo ser humano. Quando este novo ser humano aflorar de uma consciência responsável, humilde, solidária e amorosa aí sim o nosso planeta terá grandes chances de oferecer um meio ambiente saudável, sustentável e próspero.