Há algum tempo tenho estado atenda à reação que me paralisa diante de situações e pensamentos, o Medo.

Encarando de frente os medos que batiam a minha porta, percebi que a grande maioria dos medos que me assolavam eram medos que eu havia “comprado, adquirido” de terceiros.

Percebi que todos somos, sem saber, grandes mercadores de medos e frustrações.  Por amor, por super proteção, por querer o bem e o melhor “vendemos e implantamos” o medo no outro.

Entendi que muitos medos que eu tinha, eram medos que aprendi a ter. Quantas vezes eu ouvia da minha mãe dizer: “menina não suba aí que você vai cair; não saia na rua esta hora, porque você vai ser roubada; aí meu Deus, você vai nadar nessa piscina tão funda; não ande de bicicleta que você vai se machucar”.

Enfim, passei minha vida inteira ouvindo de terceiros o que eu não deveria fazer, simplesmente porque eles tinham medo, e é claro, porque aprenderam com alguém a ter medo.

É sabido que o medo é um sentimento nato do ser humano, um sentimento primitivo de proteção. Contudo, o medo alimentado exaustivamente torna-se um grande vilão, um grande castrador.

No ano passado quando resolvi participar do Brasil Ride (uma das maiores competições de Mountain biking do mundo), não tive o incentivo de nenhuma pessoa sequer. Todos com quem conversei, inclusive com pessoas que já haviam participado da competição no ano anterior, fizeram de tudo para que eu desistisse de participar. Encheram-me de medo, falavam o quanto a competição era dura, era difícil e até perigosa.

Confesso que em alguns momentos cheguei a pensar em desistir porque senti medo. Mas em seguida percebi que o medo que eu estava sentindo não era originalmente meu, e sim um medo comprado. Era o medo que estas pessoas haviam implantado em mim. Voltei o meu foco para o meu desejo inicial, o meu sonho de participar de uma competição daquele nível. Abracei o desejo dos inocentes e fui. Ainda bem que fiz isto! Pois tive uma das minhas melhores experiências de vida!

Se eu tivesse comprado o medo que tentaram me vender, certamente eu teria tido uma grande frustração e arrependimento.

É comum que as pessoas mais próximas de nós sejam as primeiras e nos tolher por amor e pela proteção. Pensam que,  ao nos desestimular de fazer algo que julgam desnecessário ou perigoso, estarão nos protegendo ou nos fazendo um bem.

Uma das formas que tenho usado para me livrar do medo é sempre imaginar o que irá acontecer comigo se eu enfrentar a situação. Foi assim que decidi participar da competição. Imaginei o que poderia acontecer de ruim: cair e me machucar? Já havia passado por isto antes. Não dar conta do percurso? Qual o problema se a competição tinha carro de apoio, resgate, etc. Analisei friamente todas as situações adversas e percebi que nada era o fim do mundo. Alinhei minhas expectativas, fui bastante realista e o resultado me surpreendeu, pois a competição foi difícil, mas não impossível!

Tomando como exemplo a minha prática esportiva darei dicas de como se livrar do medo.

1-      Faça uma análise do seu passado e tente perceber a origem do seu medo. Lembre-se que você nasceu um ser humano sem defeitos e livre. Faça suas revisões, e se necessário, busque ajuda profissional para fazer esta pesquisa. À partir do momento que identifiquei de onde vinham os meus medos, eles deixaram de ser meus e adotei uma nova postura perante a vida.

2-      Quando estiver em uma situação de medo, por exemplo, descer uma pirambeira com a sua bicicleta, preste atenção na forma como outras pessoas estão fazendo, se fazem com facilidade, com tranqüilidade. Aborde as pessoas e pergunte como elas fazem determinado exercício. E principalmente imagine: eles são seres humanos normais tanto quanto eu, se eles conseguem eu também consigo! Confie em si mesmo(a) e na sua força interior.

3-      Confie em si mesmo, confie no seu potencial, na sua capacidade. Lembre-se que o seu maior limitador é você mesmo e seus pensamentos. Mentalize sempre: não tenho medo, não tenho medo. Tenho coragem, tenho força, tenho capacidade. Seus pensamentos é que comandam seus atos. Vai descer a ladeira? Então mentalize: eu sei fazer, eu posso, eu consigo e terei prazer em fazer.

4-      Se perceber que o medo está tomando conta, então pare imediatamente, respire profundamente por alguns minutos até perceber que a sensação de pânico foi embora. Você tem o controle sobre os seus pensamentos e sobre o que quer sentir em qualquer situação. Acalme-se e retome a situação.

5-      Não dê asas a imaginação, não imagine o pior. Pois as chances reais é que você e o mundo irão sobreviver. Acredite! Às vezes, o pior que pode acontecer é um ataque de pânico. Se você começar a ter um batimento cardíaco rápido ou as palmas das mãos começarem a suar, a melhor coisa é não lutar contra isso. Fique onde está e simplesmente sinta o pânico, sem tentar se distrair. Coloque a palma da sua mão no seu estômago e respire lentamente e profundamente, pois ajuda a acalmar o corpo. Pode demorar um pouco, mas o pânico vai desaparecer. O objetivo é ajudar a mente a se acostumar a lidar com o pânico, que afasta o medo.

6-      Evitar o medo só o torna maior ainda. Seja qual for seu medo, se você enfrentá-lo, isso fará com que comece a desaparecer. Cada vez que os medos são enfrentados, tornam-se mais fáceis de lidar numa próxima vez, até que no final eles não serão mais um problema.

7-      Quando enfrentamos o medo, o encaramos, percebemos que estes medos tendem a ser muito pior do que a realidade.

8-      A vida é cheia de tensões, mas muitos de nós sentimos que a nossa vida deve ser perfeita. Dias maus e derrotas acontecem sempre, e é essencial lembrar que a vida por vezes é uma confusão. No esporte percebo que muitas pessoas deixam de realizar determinados exercícios pelo medo de se expor, pelo medo de errar, querem fazer perfeito. O perfeito só virá das inúmeras tentativas e erros. Se não se lançar, se não tentar, o medo vai crescer e a perfeição nunca chegará. A auto-crítica exagerada o leva ao medo.

9-      Faça mentalizações e visualizações. Imagine-se totalmente livre dos medos, imagine-se bem sucedido em todas as situações que tiver que enfrentar. Deixe se levar pelos sentimentos positivos, deixe estes sentimentos positivos preencherem o seu ser.

10-   Divirta-se com os seus erros, dê risada, afinal ninguém é perfeito! Saiu para pedalar, levou um tombo, ficou com o joelho ralado? Divirta-se! Ria e continue em frente. Lembre-se que os melhores atletas e mais experientes também caem, também se machucam.

11-   A melhor parte: Quando conseguir superar o medo, reforce o seu sucesso. Conte para as pessoas a sua conquista. Presenteie-se, comemore, faça uma festa, mesmo que seja consigo mesmo(a). Reforce a lembrança de sua conquista, documente, tire fotos e revisite estas lembranças à todo momento.