Somente neste caso, a “outra”, é bem vinda. A fulana “Magrela” fortalece a relação, aproxima os seres, cria cumplicidade e diverte os casais.

Atualmente o desencontro de horários, o estresse do dia-a-dia, acumulo de trabalho, muitas responsabilidades, muito tempo no transito para aqueles que moram nos grandes centros, entre outros fatores, prejudicam sobremaneira a qualidade de vida e de convivência afetiva de milhões de casais.

Alguns se vêem muito pouco, a convivência e comunicação muitas vezes dá-se por e-mails, torpedos e a distância vai crescendo. Expectativas são frustradas e o sentimento de culpa cada vez maior atormenta a vida em comum. Casais deixam de compartilhar e viver momentos preciosos da vida porque geralmente estão absorvidos pelas demandas e pressões familiares e profissionais.

Uma grande oportunidade para sair deste círculo vicioso é a adoção de uma prática esportiva em conjunto.

Dar o primeiro passo pode parecer algo intransponível, mas é totalmente possível a partir do momento que há planejamento e principalmente o desejo de realizar algo diferente, prazeroso que quebre a rotina diária de infinitas responsabilidades e que traga uma dose de aventura e prazer a dois.

É importante estabelecer um objetivo. Por exemplo: participar de uma cicloviagem, de um passeio ciclístico e até de uma competição. Além disto, o companheirismo, o desejo em comum e incentivo mútuos deve ser o mote da nova fase, para que ambos mantenham a motivação para se levantar da cama, pegar a magrela e sair pedalando em direção ao objetivo.

Sabemos que a prática de exercícios físicos trás benefícios hormonais, físicos e emocionais. Quando realizada com o parceiro aumenta ainda mais o prazer, a alegria, o relaxamento e a cumplicidade.

Para que o projeto dê certo é importante que o casal compartilhe dos mesmos objetivos, como gostar de cuidar da aparência, da saúde física e emocional. Perceber que a atividade física deve ser encarada como uma excelente oportunidade para o fortalecimento da relação, do desenvolvimento e conhecimento mútuo.

Eu e Marcello Ruivo nos conhecemos por causa da magrela. Estava ministrando uma palestra a respeito do projeto Ciclofemini. No final da palestra conversamos e o gosto mútuo pelo pedal ficou mais que evidente, começamos a namorar e de lá para cá o nosso relacionamento se fortalece cada vez mais. No silencio das pedalas pelas trilhas a energia gerada entre nós dois dispensa quaisquer palavras, a cumplicidade cresce a cada quilometro conquistado. Percebemos que pedalar juntos era um momento de grande riqueza, de autoconhecimento e conhecimento mútuo. Já estávamos todos os finais de semana fazendo passeios pelas trilhas, mas a nossa grande descoberta como parceiros de pedal foi quando resolvemos participar da primeira competição. Foi mágico, lideramos a competição o tempo todo, só nos últimos minutos acabei me cansando muito com o ritmo e mesmo assim conseguimos o pódio em terceiro lugar. Quando cruzamos a linha de chegada percebemos que o futuro dali para frente seria muito diferente, um futuro de vivência harmoniosa no giro dos pedais. Hoje formamos a dupla Duorum Gaia, nosso objetivo é participar do Brasil Ride em Setembro de 2012 e no final de cada treino mais que pernas fortalecidas é a nossa relação que ganha fôlego e energia.

Paula Miguel e José Carlos Alves, ambos corretores de seguro. Ele a inscreveu em um curso para aprender a pedalar, exatamente para poderem pedalar em família, já que tem um filho de 6 anos e ele já pedalava com o pai.

Andar de bicicleta em família ajuda na cumplicidade do casal e um dos benefícios é o fortalecimento da união. Andar de bicicleta é uma experiência única, que todos deveriam passar pelo menos uma vez na vida, se puder andar com a família ou amigos melhor ainda! – comenta Paula.

Luciana Amaral, historiadora, também teve a ajuda do marido, Fausto Mascia, professor universitário. Ele que pedalava desde criança tinha o desejo que sua mulher o acompanhasse nos passeios. O desejo dos dois é andar pela cidade nos passeios noturnos, conhecer lugares novos pedalando e também praticar uma atividade física juntos.

Vai pedalar, é muito gostoso aprender, não é tão difícil, tenho 46 anos e aprendi. Fiquei muito emocionada porque todos dizem que essas coisas a gente aprende só quando criança, mentira! Vai pedalar com o marido, porque futebol não dá para jogar junto e pedalar sim – brinca Luciana.

Rosemary França Gonzales, técnica contábil e Aparecido Joaquim Mendes, movimentador de materiais, pedalam juntos há 6 anos. São muitos anos de cumplicidade e companheirismo.

Acho que pedalar juntos só fortalece a relação do casal, pois não temos o problema de ter que sair correndo da trilha como muitos amigos fazem até brincamos com eles que a maionese tá azedando, pois as esposas ligam e ficam esperando pois também tem seus horários e compromissos. Então fazemos nossos pedais tranqüilos como mulher e marido e muito mais como parceiros de bike um incentivando o outro sempre na hora da canseira – comenta Rosemary.

O nosso projeto é difundir a bike como meio de transporte alternativo incentivando as pessoas, pois aqui em Sorocaba temos 75 quilômetros de uma linda Ciclovia que nos leva a toda a cidade. Mantemos um Grupo o Team C20 Bikers que pedalamos todos os sábados. Nossos passeios são tranqüilos dizemos que é daqueles que dá para tirar muitas fotos. Fazemos todo ano uma ciclo viagem longa nas férias – comenta Aparecido.

Difícil explicar essa relação casal e bike,  no nosso caso aumentou o companheirismo entre nós e a solidariedade de apoiarmos um ao outro como em casos de ciclo viagens dificílimas que um dá força ao outro e juntos conseguimos conquistar nosso sonho que é sonhado primeiro traçado no papel e quando estamos lá e completamos o percurso ficamos muito mais unidos e felizes pela vitória do Casal. Existe uma mágica ou química na prática do esporte que só fazendo para sentir, praticando juntos tudo fica completo – ressalta Rosemary.

Gostaríamos de deixar nosso conselho para que todo casal pegue sua bike deixando seu carro, sua moto na garagem e faça algum percurso de bike e saia para um pedal diferente para sentir a força interior e também sentir o exterior: as belezas e riquezas naturais. Só fazendo para explicar e sentir o que o pedal nos traz de benefícios físicos, mental e emocional. Por isso que somos tão felizes marido e mulher amantes e parceiros na bike sempre – finaliza Aparecido.

Fernando e Sinara , ambos empresários, pedalam juntos há sete meses.

Estávamos preocupados com a saúde e o bem estar e,  a procura de uma atividade em conjunto que fosse saudável, prazerosa e que estivéssemos  em contato com a natureza, resolvemos tirar a bicicleta da garagem, pois só ela poderia nos proporcionar estes benefícios. Além disto, os pedais em conjunto tem nos dado motivação mutua, companheirismo, segurança e diversão – comenta Sinara.

Aconselho os casais a jamais perderem esta oportunidade única na vida, ou seja, manter a saúde física, mental e conjugal.  A bicicleta aproxima os casais por causa do interesse em comum e da satisfação em dividir momentos prazerosos – comenta Fernando.

Há momentos na vida que nos fazem renascer e avistar novos horizontes, e esta nova e empolgante fase na nossa história se chama bicicleta! Torcemos para que estes momentos durem longos e longos anos. Por isso, recomendo a todos, perseverem, ousem, superem, pois é algo extremamente gratificante – finaliza Sinara.

A prática de esporte e de atividade física em conjunto faz uma pausa na rotina e coloca o casal em sintonia para um objetivo em comum.  Qualquer atividade pré- programada de interesse em comum pelo casal que demanda ajuda mútua tenderá a uni-los. O esporte em conjunto agrupa todos os itens de importância para preservar e fortalecer o relacionamento – conclui Dra. Adriana de Araújo, psicóloga, especialista em programação neurolinguistica, hipnose e autora de vários livros.