Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

“Nunca é cedo para uma gentileza, porque nunca se sabe quando poderá ser tarde demais.” Ralph Waldo Emerson

Refleti muito a respeito do episódio que vivi sábado passado quando uma condutora de um veículo quase me atropelou quando eu estava andando de bicicleta, além disto verbalizou a sua agressividade na frase: ciclista tem que morrer!!.

Escrevi um artigo e gravei um vídeo a respeito do acontecido. No momento quem que registrei o fato foi apenas um desabafo da minha indignação, e não imaginava que teria tamanha repercussão e comoção de tantas pessoas. Recebi inúmeros e-mails e mensagens de apoio, indignação, de suporte, ajuda, consternação, amizade e carinho.

Recebi muitas sugestões: de fazer um boletim de ocorrência, entrar com um processo contra a pessoa a fazer um movimento em frente ao prédio da condutora.

O sentimento que bate forte no meu coração em primeiro lugar é de gratidão. Gratidão por todos aqueles que se manifestaram a meu favor e se preocuparam com o meu bem estar. O outro sentimento foi com relação ao tamanho da força que a união de tantas pessoas pode ter em torno de um tema.

No artigo que escrevi para a 5º edição da Revista Bicicleta, ressaltei que  “O nível de Segurança no trânsito é proporcional ao nível de Cidadania e Educação de um povo”.

Portanto na minha concepção a solução para a agressividade patológica que assola os grandes centros é investir em educação, investir em cidadania, investir em conscientização para a criação de um comportamento gentil e tolerante.

É necessário criar a corrente do bem em prol de um comportamento de respeito ao próximo, de cordialidade, de gentileza.

Não esperemos que alguém faça alguma coisa. Cada um de nós que concorde em ter uma convivência mais justa, mais igualitária que faça o seu movimento pessoal, a sua ação social iniciando pelo seu núcleo mais próximo de relações interpessoais: sua família, seus amigos, seu ambiente de trabalho, seus vizinhos, seu condomínio.

Se cada um de nós se propuser a reservar 20 minutos do seu tempo para transmitir ao próximo algum conceito relacionado a gentileza, educação no trânsito e cordialidade, certamente estará plantando muitas sementes. Basta que apenas um seja aderente a idéia, ao conceito, e este será mais um multiplicador e assim por diante.

Assim como gerei a comoção em torno de uma situação que sensibilizou tantas pessoas, gostaria muito que estas mesmas pessoas iniciassem a sua corrente do bem, promovendo efetivamente a conscientização a favor de uma comunidade mais gentil.

Deixo aqui alguns vídeos que irão inspirá-los na sua ação pessoal em prol da “Corrente do Bem – A conta que muda o mundo!”

1- Gentileza no trânsito

2- Convivência

3- Gentileza – Marisa Monte

4- Gentileza no dia-a-dia

5- A Corrente do bem a conta que muda o mundo