Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

marginal rio PinheirosO povo acostumou-se ao comando, ao açoite, a falta de direito. Continuamos nos ludibriando e nos enganando. Uma população escravizada e desinformada em sua grande maioria. Reclamamos dos políticos, porém não existe corrupção sem corruptores. O brasileiro adora o famoso “jeitinho”. Os grandes delitos começam com os pequenos! Furar fila, parar o carro na vaga de idosos, jogar lixo da rua, parar o carro em fila dupla só porque vai pegar a criança na porta da escola, entre tantos outros pequenos delitos. Será que o político corrupto não é apenas um destes cidadãos que se acostumou às facilidades e nunca mais conseguiu parar?

O cidadão brasileiro precisa parar de alimentar o sistema agindo corretamente; Votar com consciência, estudar para saber o que é direito e o que é dever. Demonstrar cidadania nos pequenos atos cotidianos. O CNJ – Conselho Nacional de Justiça divulgou que 2.918 ações e procedimentos relativos à corrupção, lavagem de dinheiro e improbidade administrativa prescreveram por falta de julgamento em 2012. Estimativas modestas apontam que 2,4% do PIP Brasileiro, que é R$4,14 trilhões, vão para a corrupção. Afinal , o que é ser político neste país?

A decisão do fechamento “parcial” da Ciclovia da Marginal Pinheiros, nada mais é que um pequeno reflexo de todos os desmandos que vivemos diariamente. É o reflexo da falta de respeito ao cidadão. Decisões e atos contraditórios. O transporte público não atende minimamente as necessidades da população. A cidade é escassa de lugares para se locomover de bicicleta, Não existe integração entre os modais, pois o uso da bicicleta, na hora de pico do trânsito, não é permitido em trens e metrô.

A Ciclovia da Marginal Pinheiros, antes de se tornar ciclovia era a estrada de serviço da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae). Ao lado de grande parte da extensão da Linha 9 (Esmeralda) da CPTM havia as pistas asfaltadas que eram (e ainda continuam sendo) utilizadas pela companhia para o transporte de alguns equipamentos. Pergunto: Como ficará a atividade da Emae com o fechamento parcial da ciclovia, por onde passarão seus veículos? Será que o desvio a ser criado para a Emae não pode ser liberado para os ciclistas? Ou a Emae ficará os dois anos sem circular pela ciclovia?

E, como fechar os olhos para todos os investimentos feitos na ciclovia? Repito: a ciclovia é uma alternativa para o deslocamento diário de inúmeros trabalhadores. Sinceramente não consigo acreditar que o Secretário de Transportes Metropolitanos, Sr. Jurandir Fernandes, desconheça este fato. O lazer também acontece, porém aos finais de semana!

A CPTM traçou planos de instalar na ciclovia um sistema de iluminação noturna composto de 764 lâmpadas LED, o que permitiria que a ciclovia funcionasse à noite. Tal sistema estava previsto para ser instalado no primeiro semestre de 2012, mas nada aconteceu até agora. Na época em que foi divulgada esta informação, a solução foi apresentada como um grande benefício aos ciclistas que a utilizavam para o seu deslocamento diário e não lazer. A ciclovia é também parte do projeto Parque Linear Pinheiros, sob responsabilidade da Emae. No projeto consta a construção de uma ciclovia na outra margem do Rio Pinheiros e de nove travessias sobre o rio, localizadas próximo às estações de trem Jurubatuba, Santo Amaro, Granja Julieta, Berrini, Cidade Jardim, Pinheiros e Ceasa, aos parques Villa-Lobos e Burle Marx e à Ponte João Dias, além de uma travessia sobre o Rio Guarapiranga.

Aquilo que estava previsto não foi realizado e com o “fechamento parcial” a sensação é de voltar a estaca zero, sensação de ter sido iludido. Desrespeito ao dinheiro público!

O trânsito aumenta a cada dia, milhões são gastos para tentar resolver o problema do automóvel, quando o problema é o automóvel!

CICLOVIA JÁ!