Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

O treinamento para mulheres é algo que ultrapassa as fronteiras das variações hormonais, da TMP, das características fisiológicas, psicológicas e sociais. Considero que vai muito além dos limites do movimento para, também, desvendar a alma feminina. Exagero? De maneira alguma…

 Que diga um dos experts no trabalho com mulheres, o técnico da Bernardinho, que por muitas vezes é considerado duro, severo e impaciente, mas também compreensivo, amigo e doce. Trabalhar com mulheres necessita, ainda mais, reconhecer os próprios erros e valorizá-las nas conquistas, tudo isso de maneira muito especial.

As mulheres diferem dos homens em diversos aspectos, sendo alguns deles: menor quantidade de massa muscular, maior percentual de gordura corporal, menor força absoluta, perfil hormonal e características antropométricas. Além disso, as mulheres possuem comportamento diferenciado, seja nos momentos de maior estresse como também nas vitórias.

Diante disso pode-se afirmar que as mulheres são o sexo frágil? Não, esse conceito é totalmente errado. Elas podem e devem ser cobradas veementes, assim como fazemos com os homens, contudo, de maneira diferente e de acordo com as suas particularidades, apenas isso.

Quando nos referimos ao treinamento esportivo para mulheres é muito comum utilizarmos conceitos que deveriam ser aplicados somente aos homens. Um dos motivos para esta constatação é que a maioria dos estudos relacionados ao esporte (treinamento, nutrição, biomecânica e fisiologia), por inúmeros motivos, é realizado apenas com homens, mas que as conclusões, embora pertinentes, são aplicadas às mulheres. 

Um exemplo disso são as dietas de supercompensação de carboidratos, que pode ser definido como uma sobrecarga alimentar de alimentos ricos em carboidratos para aumentar os estoques de glicogênio no organismo, não funcionam da mesma maneira entre homens e mulheres.

Além disso, o desempenho pode ser afetado pela fase ou período da qual a mulher se encontra. Durante o ciclo menstrual a mulher pode sofrer variações no desempenho devido às alterações fisiológicas e também no estado emocional.

Vixi, quanta informação! Então não existem semelhanças entre homens e mulheres em relação o treinamento? Só há disparidade? Essa indagação já foi tema de diversos trabalhos científicos, alguns deles quebraram o paradigma da superioridade masculina.

Alguns autores afirmam que as mulheres são tão ou até mais beneficiadas com o treinamento de força quanto os homens. Muita calma antes de tirarem conclusões erradas com esta afirmação e imaginarem o ganho exacerbado de músculos e a perda da feminilidade.

Desde que sejam respeitadas as individualidades e características femininas, os treinos podem realizados na mesma magnitude entre ambos os sexos.

Além disso, os benefícios proporcionados pelo treinamento de força acontecem na mesma velocidade entre homens e mulheres. No entanto, os homens possuem cerca de 10 vezes as concentrações de testosterona das mulheres, que explica, em parte, os maiores ganhos na hipertrofia muscular nos homens.

Enfim, homens x mulheres, apenas diferentes em algumas situações e com muitas semelhanças.

 

Prof° Ms Helio Souza , Graduado em esporte pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Ciências pelo Instituto de Ciências Biomédicas (USP), pós graduado em Marketing e Administração Esportiva, preparador físico de atletas profissionais e amadores do ciclismo de estrada e do Mountain Bike.

www.professorheliosouza.com.br
www.twitter.com/profheliosouza