Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

brainSempre nos referimos ao cérebro como um músculo e uma nova pesquisa mostra que os dois são mais semelhantes do que se pensava anteriormente.

Um estudo de 2012 publicado no Journal of Applied Psychology  mostra que a transpiração também pode aumentar os níveis de energia no cérebro. O estudo é baseado na medição cuidadosa dos níveis de glicogênio em ratos antes e após o exercício.

Glicogênio para o cérebro e o corpo

Glicogênio é uma fonte de energia importante para os neurônios e músculos e o mesmo diminui quando há um consumo alto de energia durante exercícios exaustivos. Nos músculos, já há o conhecido fenômeno de elevação do glicogênio 24 horas após o exercício. Este fenômeno é chamado de super compensação.

A pergunta: a super compensação acontece também no cérebro como nos músculos? De acordo com o estudo realizado em ratos, os níveis de glicogênio em cinco áreas diferentes do cérebro de rato (que têm correspondentes áreas do cérebro humano) diminuiu 50-63% durante o exercício. Mas 6 horas depois, o nível de glicogênio subiu ao pico de 29-63% em relação ao nível do pré-exercício. O impulso de energia disponível para o cérebro pode explicar o estado de alerta mental que muitas pessoas relatam depois de um treino.

Efeitos a longo prazo

Os pesquisadores descobriram que os efeitos do exercício no cérebro eram mais duradouro.

O estudo também incluiu um grupo de ratos treinados para exercitar  regularmente durante 5 dias por semana ao longo de 3 semanas. Em comparação com um grupo de controle de ratos sedentários, estes ratos do grupo de treinamento tinham de 7% e 9% de níveis mais elevados de glicogênio no córtex e no hipocampo, respectivamente.

Embora o estudo tenha sido feito com ratos e não humanos, o mesmo fornece informações valiosas sobre o modo como o exercício pode mudar o cérebro.  

Mais do que nunca, estão comprovando que a pratica de exercícios não só manterá os seus músculos saudáveis, mas o seu cérebro também.

Fonte: http://www.lumosity.com/