Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

Recentemente publicamos o artigo “A relação entre pedal e distúrbios urogenitais” e o foi um grande sucesso devido as informações úteis.

Com o objetivo de esclarecer, cada vez mais o assunto retomamos o assunto do Selim ideal sob a ótica de Rodrigo Langeani. Veja o artigo a seguir.

O selim, junto com os pedais e o guidão, é um dos 3 pontos de apoio entre o corpo do ciclista e a bicicleta.

Uma boa distribuição de peso entre esses três pontos, garante o conforto do ciclista.

Normalmente só lembramos do selim quando ele quebra ou quando sentimos desconforto.

Trabalhando com Bike Fit a alguns anos, tenho ajudado muitos ciclistas a mudarem sua relação com a bicicleta e pedalarem com mais prazer (e eficiência).

Entre os que se queixam de desconforto no selim, o problema normalmente envolve dois fatores: o mal posicionamento e o equipamento inadequado.

Mal posicionamento: As bicicletas permitem que o selim seja regulado de diversas formas: mais alto, mais baixo, mais pra frente, mais para trás, inclinado para cima e inclinado para baixo.

A regulagem correta da posição do selim depende das suas características corporais, por exemplo, pessoas mais altas devem usar um selim mais alto do que pessoas mais baixas. E o ideal é que o selim seja posicionado de forma paralela ao solo.

Pessoas com o selim muito alto, perdem grande parte do apoio dos pedais, colocando peso demais sobre  selim. Além de, com o selim muito alto, terem que estender exageradamente as pernas para conseguir realizar a parte inferior do ciclo da pedalada, muitas vezes fazendo com que o quadril tenha que rotacionar a cada giro, levando o ciclista a deslizar lateralmente a cada pedalada. Multiplique esse movimento por 90 vezes a cada minuto e você terá uma ideia do tamanho do desconforto que isso irá gerar.

Da mesma forma, também gera-se problemas quando se usa selins apontados para cima, fazendo com que o ciclista coloque pressão demais na região do períneo, muitas vezes causando dormência e desconforto na região genital.

O SELIM Ideal

Largura

Não existe selim ideal, existe o selim ideal para o seu caso. Hoje o mercado oferece uma infinidade de modelos diferentes, e cada selim tem um propósito diferente.

A primeira coisa a escolher é a largura do selim. Medida esta que depende basicamente da largura do seu quadril. No selim sentamos sobre dois ossinhos chamados ísquios. Quanto mais largo for seu quadril, mais distantes serão seus ísquios, e maior a largura necessária do selim.

Uma pessoa de quadril largo pedalando em um selim estreito que o necessário sentirá desconforto por não oferecer o apoio ideal aos seus ísquios e irá sobrecarregar os tecidos moles na região do quadril.

Formato

Existem selins de diversas formas. Normalmente o formato a ser escolhido depende da flexibilidade do atleta e do uso que este fará de sua bicicleta.

Bicicletas de passeio, oferecem uma posição de pilotagem onde o ciclista fica com o tronco mais ereto (“mais em pé”), já bicicletas de competição posicionam o ciclista com o tronco mais inclinado (“mais deitado”). Com o tronco mais ereto descarregamos mais peso nos ísquios, com o tronco mais deitado apoiamos mais peso no períneo e um pouco menos de peso nos ísquios. Chegando ao ponto de, em bicicletas de triatlo e contra-relógio do atleta praticamente se apoiar no nariz do selim, colocando a maior parte do peso sobre o períneo e muito pouco peso nos ísquios.

Por isso, para posições onde o atleta pilota a bicicleta mais em pé é recomendado um selim com o corpo mais largo e macio e com um nariz mais estreito (3-4cm), ou sem nariz, como é o caso dos selins Álamo. Já atletas que pilotam mais deitados o ideal são selins que oferecem mais conforto e área na região no nariz do selim, com um nariz mais largo (>4-5cm).

A flexibilidade do ciclista afeta diretamente a forma como o ciclista senta no selim. Ciclistas mais flexíveis tendem a conseguir apoiar melhor o seu peso em uma área maior do selim. Para esses ciclistas é ideal um selim mais plano (topo plano).

Já ciclistas menos flexíveis, não têm tanta mobilidade no quadril e necessitam normalmente de um selim mais curvo (topo curvo) e com um canal de alívio de pressão no centro do selim.

Com essas considerações, tenho certeza que você irá pedalar melhor.

Rodrigo Langeani é bike fitter na Bicicleta Perfeita (http://BicicletaPerfeita.com.br) e escreve para o site Espírito Outdoor (http://EspiritoOutodoor.com)