Pense na sua idade atual. Você sabia que a expectativa média de vida dos Brasileiros é de 73?

Quantos anos mais de vida você tem? Como gostaria de passar seus próximos anos até chegar os 73? E que tal ficar fora da estatística e viver 10 anos mais? Viver 20 anos mais?

Que tal viver até os 105 anos de forma saudável e lúcida? Foi exatamente o que aconteceu com o Sr. Miguel Graziano que conseguiu viver até os 105 anos de idade.

O relato desta linda história de vida e os segredos de uma velhice saudável estão compiladas no livro: Envelhecimento Saudável- Os segredos de um envelhecimento bem-sucedido – Miguel Graziano.

Flávia Lorenzini Valença, terapeuta ocupacional Dr. João Toniolo Neto, médico geriatra  e Cleofa Toniolo Zenatti,  psicóloga,  documentaram a vida e os ensinamentos do Sr. Graziano em um livro muito agradável.

O conceito de vida e saúde do Sr. Miguel Graziano, é um grande exemplo para aqueles que pretendem e gostariam de ter uma vida saudável e uma velhice tranqüila.

Veja aqui alguns trechos do livro, depoimentos que o Sr. Miguel Graziano fez aos 103 anos:

“Tudo o que se utiliza se desenvolve, o que não se utiliza atrofia e morre” – Hipócrates, 476 a.C.”

ATIVIDADE FÍSICA

É importante entender que atividade física pode ser qualquer movimento do corpo com contrações musculares e que exercício físico é uma programação dessa atividade com intensidade, freqüência e tempo, ou seja, o exercício é estudado, programado e reprogramado, pois é comum as pessoas confundirem essas denominações.

A prática de exercícios físicos melhora a sociabilidade das pessoas, proporcionando o convívio com os outros; favorece a estabilidade postural, o equilíbrio e a marcha, diminuindo o risco de quedas e fraturas, minimiza a sobrecarga cardiovascular por meio da elevação da força muscular, necessitando de menor quantidade de fibras musculares para exercer as tarefas diárias, e melhora a memória e a depressão.

Entre todos os exercícios, andar bastante é  o melhor. Quando somos jovens, fazemos ginástica, porém, quando envelhecemos, paramos e o corpo atrofia. Podemos andar a vida inteira! Somos uma máquina que, se para, enferruja.

O esporte prolongou a minha vida e ajudou-me a regular a alimentação e não abusar dela.

HÁBITOS ALIMENTARES

Depois do 50 anos não há mais juventude, e as pessoas devem mudar os hábitos alimentares, pois eles minam o corpo aos poucos.

Os atletas e jogadores, aos 30 anos, já começam a envelhecer e não tem mais a força e a disponibilidade que os mais jovens.

Encarei as mudanças com a maior facilidade, modifiquei a alimentação; sempre me movimentei bastante; andava e fazia regime – parei de comer frutas ácidas e comecei a comer mais pêra e banana.

Quando eu era jovem, gostava de doces, mas sentia que faziam mal, por isso cortei.

Parei de comer carne vermelha e carne de porco há 40 anos. Devemos comer frutas e beber bastante água. Como alimentos duros com certa dificuldade e, há 3 anos comecei a demorar mais para me alimentar.

EMOCIONAL

A repetição de idéias, pensamentos, emoções, sentimentos, percepções e sensações vão modelando a personalidade ao longo da vida. O idoso é, portanto, produto desses hábitos.

A personalidade é, em parte, construída por hábitos, entretanto, o tipo de personalidade influencia a manutenção dos hábitos de vida em um movimento de retro-alimentação.

Para que o envelhecimento seja bem-sucedido, coragem é fundamental. Um dos maiores problemas do ser humano é o medo; dele derivam todas as enfermidades psíquicas e as neuroses. Sem medo, é possível experimentar novas idéias e emoções e, assim, alcançar uma renovação constante, que dá sentido à vida, tornando-a mais gostosa. Quem gosta de viver, envelhece feliz.

A MORTE

A morte é uma passagem da nossa vida. Tudo tem seu final. Todo ser humano nasce e morre. Outro caminho não existe. Toda pessoa que tem certa idade não deve ter medo de morrer. Ela deve saber esperar por isso, pois ocorrerá de qualquer jeito, querendo ou não querendo.

Os desastres, as doenças e as mortes naturais são uma questão de oportunidades e circunstâncias. Cada um tem um caminho. Todos têm o direito de nascer e morrer, isso é inevitável.

Eu continuei trabalhando depois que a minha esposa faleceu, porque o corpo não pode parar. A pessoa precisa aprender a enfrentar o seu próprio destino. As adversidades  da vida são fatos que fazem ruir muitas das nossas ilusões.

CICLO DA VIDA

 

Sr. Miguel Graziano

A vida tem seu ciclo. Temos o direito de viver, assim como temos o direito de morrer. Esse é o caminho universal. Cada um de nós experimenta as alegrias e tristezas que a vida nos reserva. Para enfrentar a dor, sempre procurei não me entregar e me manter ocupado.

Na vida, todos nós passamos por períodos de dificuldade e sofrimentos. Com o passar do tempo, conformei-me e consegui superar e perdoar. Isso me trouxe grande paz interior. Todos estes fatos que aconteceram em minha vida me ajudaram a ser tolerante e menos impulsivo.

Creio que o esporte, a alimentação e o trabalho, aliados ao apoio familiar e a uma razoável condição financeira, ajudaram-me a chegar até aqui. O que não fiz na minha juventude fiz na minha velhice: aproveitar as coisas boas que a vida me ofereceu depois que me aposentei.

AMOR

O amor é um sentimento recíproco. É um sentimento que abrange todos os seres humanos. A única coisa que existe na vida e que nos engrandece é o amor.

BELEZA

Belo é algo muito relativo, pois cada um tem o seu conceito próprio de beleza. Cada qual enxerga da maneira que lhe agrada e de acordo com a sua natureza. O belo, às vezes, tem muita ilusão, isso é uma coisa que dá até confusão.