Romana de Souza Franco

A palavra Acupuntura origina-se do latim: acus (agulha) e punctura (picada) é uma especialidade da Medicina Tradicional Chinesa – MTC – usada para equilibrar a saúde. De acordo com Ming Wong (1995), o Huang Di Nei Jing, tratado do Imperador Amarelo da Dinastia Ming, livro mais antigo da MTC, (aproximadamente de 475 a 221 a.C.) descreveu dois aspectos da filosofia chinesa, o confucionismo e o Taoísmo.

A prática da Acupuntura, no Brasil, vem sendo ensinada desde 1958, como instrumento de ajuda e eficiência aos modelos convencionais na qualidade de vida. A Acupuntura está incluída no Catálogo Brasileiro de Ocupações, editado pelo Ministério do Trabalho, em 1977, em convênio com a Organização Internacional do Trabalho – OIT (Min.Trab./OIT/UNESCO/BRA/70/550 nº 0.79-15 – Acupunturistas), no qual se prevê que o acupunturista execute o tratamento de distúrbios orgânicos, funcionais e de reabilitação.

A Acupuntura é reconhecida e recomendada pela Organização Mundial da Saúde. Essa ciência é aplicada com eficácia no tratamento da dor, no incremento das capacidades imunitárias e na normalização funcional do organismo.

A Acupuntura tem feito parte do Esporte desde o inicio das civilizações chinesas; reconhecida pelo contínuo crescimento da popularidade dos esportes recreativos e das atividades de condicionamento físico, contribuindo pela melhora das lesões provenientes das artes marciais, mas também para evitar as lesões oriundas de esportes tanto em atletas amadores quanto em profissionais.

Vários artigos científicos têm mostrado a eficácia da acupuntura nos esportes. Como por exemplo, no trabalho de Luna (2005) as variáveis analisadas para verificar os efeitos da acupuntura foram: a força máxima dinâmica e explosiva, a resistência anaeróbica e a velocidade em uma população de atletas velocistas de alto rendimento. O grupo apresentou uma melhora clinica significante (98,80%, IC 95%) em todas as variáveis e melhora estatisticamente comprovada (P<0,05%) na força máxima dinâmica e na força explosiva.

Num estudo feito por pesquisadores da Universidade de Tóquio e publicado no Medical & Science in Sports & Exercise em 2003, foi comprovado que a acupuntura afeta a resposta imunológica e a produção de endorfinas, hormônios liberados pelo nosso cérebro para combater a dor e trazer sensações de bem-estar e conforto. Os cientistas acompanharam um time de elite de futebol feminino em fase de competições.

Prof. Romana de Souza Franco, possui graduação em Curso de Educação Física pela Universidade de Mogi das Cruzes (1999). Atualmente é coordenadora e docente da Universidade de Mogi das Cruzes do curso de Pós Graduação e Especialização em Acupuntura,coordenadora e docente do curso de Pós Graduação Especialização em Acupuntura da UNICSUL, docente do Centro de Estudos Firval, palestrante do Centro de Estudos Prof.Dirceu Vieira, docente do Centro de Estudos Odontológicos São Leopoldo Mandic, docente da Universidade Cruzeiro do Sul e docente – Thum Instituto de Pós Graduação e Biopesquisas. Mestranda em Engenharia Biomédica com Acupuntura pela Universidade de Mogi das Cruzes.

Endereço para acessar este CV:
http://lattes.cnpq.br/4146645050883211