No rótulo de alimentos industrializados existem informações úteis que podem até mesmo proporcionar a diminuição da gordura de quem os ingere.

Com certa freqüência recebo pacientes que, para emagrecer, ou deixar  de aumentar sua proporção de gordura corporal, consomem alimentos dietéticos. Alguns, ao invés de comerem a mesma quantidade que comeriam o produto comum, consomem em dobro.

Esta atitude está baseada, na maioria das vezes, na idéia de que o alimento é dietético proporciona emagrecimento. Não é verdade, pois o processo que ocorre é exatamente o contrário.

Os alimentos dietéticos são fabricados para as pessoas que têm diabete melito. Uma doença crônica que dificulta a absorção de glicose (carboidrato simples) pelo organismo. Para estas pessoas os alimentos devem conter menor proporção de carbidratos simples, como é o caso do açúcar refinado.

A diminuição do açúcar nos alimentos acaba provocando alterações no seu gosto, independente do acréscimo de adoçante (artificial ou não). Por isso, o fabricante busca estratégias para torná-lo mais agradável ou palatável.

Uma delas é acrescentar mais gordura do que é normal no alimento comum. Porém como é sabido, um grama de carboidrato fornece 4 kilocalorias (kcal) e um grama de gordura tem 9 kcal, mais que o dobro.

Portanto, o alimento dietético que apresenta maior quantidade de gordura tem no total maior valor energético do que o alimento comum. Um exemplo prático é o chocolate. Observe a embalagem do comum e a do dietético, você irá perceber que o primeiro além de mais saboroso para o paladar é menos calórico.

Assim, se você tem a intenção de diminuir a quantidade de sua gordura corporal, como o chocolate que mais gosta, desde que seja em pequena quantidade e no horário de uma de suas refeições diárias.

Se você tem dúvidas quanto à quantidade adequada de chocolate para você, seja diariamente ou semanalmente, o ideal é consultar um nutricionista. Ele é o profissional que tem conhecimento adequado para avaliar as suas características (e necessidades) e lhe auxiliar a formular uma dieta adequada ao seu paladar que supra as suas necessidades de uma refeição equilibrada e balanceada.

Aliás, você sabia que a palavra dieta significa hábito alimentar diário e não regime ou dieta hipocalórica? Portanto, todo mundo faz dieta, só que algumas pessoas fazem dieta hipercalórica.

Profa. Dra.. Cláudia Cezar
Doutora em Nutrição Humana Aplicada (USP),
Mestre em Nutrição e Metabolismo (UNIFESP) e Especialista em Fisiologia do Exercício (UNIFESP)
Instituto Perfil Esportivowww.perfilesportivo.com.br