Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

As vezes em nossas vidas enfrentamos vários tsunamis , problemas de saúde ,desemprego, as crises econômicas e políticas que nos afetam. Estava passando por momentos de grandes angustias. Buscava respostas, buscava soluções, buscava apoio, aliás, essa busca por novos caminhos acaba sendo constante em nossas vidas. Sabia que precisava transformar minhas angústias em ação.  

Há 03 meses sou aluna da Claudia Franco – CicloFemini (colunista aqui do Biketéria também). 

Há 03 meses me apaixonei pelo ciclismo! 

Movimento

Qualquer mudança seja qual área for tem que começar com algum movimento.  Fui para minha primeira aula de bike, sem nenhuma expectativa. A única coisa que desejava era sentir o vento acariciando meu rosto, nada mais.  Pedalar me remete a lindos momentos da minha infância, quando eu e minha família saiamos juntos para pedalar pelo bairro.

O tempo passou e meu medo de pedalar numa bike maior não havia passado.  Esse foi meu primeiro medo a ser vencido, medo que morava comigo mais de 20 anos. Em setembro de 2011 tive meu encontro e reencontro com a bike.

Na minha primeira aula, o selim do banco estava bem baixo. Precisava sentir meus pés tocarem o chão, acreditava que minha segurança estava nisso. Colocava muita força no pedal, sem necessidade. Nas primeiras aulas descobrir que tenho equilíbrio, num simples exercício foi algo que me emocionou.

Minha personal biker foi me ajudando a superar esse medo. Na 3ª aula consegui pedalar, com o selim um pouco mais alto. Sentir movimento do meu corpo, sentir o vento acariciando meu rosto, sentir todo aquele movimento: chorei! Depois disse para Claudia Franco: obrigada, terminou as aulas! risos.

Quando pedalei  deu-se inicio a minha paixão pela bike… Não era o fim, era o começo! No blog da Claudia Franco tem uma frase: Mulheres pedalando pela autoestima, hoje eu afirmo que vai muito além.

Vontade

Quando surgiu essa possibilidade de fazer aulas de bike, não me permiti pensar coisas do tipo: não tenho bike, não tenho luvas, não tenho capacetes, não tenho roupas de ciclistas. Sabia que já tinha muitas angustias e não poderia usar esses “não” contra mim.

A aula de bike é um momento meu. E como isso me faz bem, simples assim. Nunca pensei que iria me apaixonar pelo ciclismo, muito menos, nunca planejei ter aulas de Mountain Biking, que é uma modalidade do ciclismo. As aulas agora estão em outro nível, pois quero vivenciar o ciclismo, que é uma prática esportiva na minha vida, quero somar o lazer que uma bike pode me proporcionar mais o esporte. E para isso tem que ter treinos. Tem que ter vontade!

Lição

Nesses últimos meses aprendi muito. Se soubesse que pedalar é ótimo para nos encontramos conosco mesmo, já tinha começado antes.

Primeira lição: preciso ter condicionamento físico!

Segunda lição: Alimentação saudável.

Terceira lição: Humildade. O movimento nos leva ao conhecimento, nunca sabemos tudo. Cada aula percebo que tenho muito que apreender sobre ciclismo.

Quarta lição: O medo existe. Mas, muitas vezes não dá tempo de sentir medo.

Quinta lição: Tive minha primeira queda na bike, com ela parada. E motivo até de graça, mas também de grandes significados, pelo menos para mim.

Sexta lição: Companheirismo. No ciclismo tem isso. Um caiu o outro ajuda a se levantar, tá díficil pedalar na subida, o outro ajuda com seu apoio, tá díficil o outro ajuda a você ver que é fácil.

Faça acontecer

E com muita alegria que eu escrevo eu fiz acontecer! Consegui superar o medo de pedalar. Hoje sei as técnicas para descer em pé numa bike, como mudar as marchas, os exercícios com os cones, descer e subir rampas… É só estou começando!

Claudia Franco, minha personal biker além de ter sido um lindo presente na minha vida, é uma presença de qualidade! Ela faz acontecer!

 O que posso dizer para vocês é isso: façam acontecer!

artigo publicado também em www.biketeria.com.br