Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

Estamos na primavera! Tempo de deixar as flores chegarem até nós. Tempo de ser jardineiro, em especial do próprio corpo.

Como já dizia William Shakespeare: O meu corpo é um jardim, a minha vontade o seu jardineiro.

Meu corpo é um jardim.

Há tempos meu jardim estava precisando de algo novo, de uma água nova. Pois meu corpo já estava gritando. Não socorro, pois esse grito ele já deu alguns anos. O grito era por Vida.

Vivemos num mundo cada vez mais egoísta e doente, e o resultado são hospitais lotados e a indústria farmacêutica vendendo muito. E nesse roda moinho se encontra uma pessoa na sua totalidade: corpo, alma e mente. Lembrando que não são coisas separadas, pelo contrário…

Quando o corpo se movimenta, já sabemos que muitos processos fisiológicos e psicológicos ocorrem simultaneamente. Hoje eu senti tudo isso: senti a temperatura do meu corpo aumentar, senti prazer…

Hoje foi minha segunda aula de bike. E descobri um jardim

lindo dentro de mim. Quero relatar os movimentos do meu corpo:

Quando cheguei ao Parque e vi a altura do banco da bike, senti meu corpo assustado, risos. As pernas estavam um peso enorme, minhas mãos estavam tão tensas que os ossinhos pulavam para fora, sem falar o pescoço… Minha expressão facial estava assustada…

Durante os primeiros desafios, senti certa dificuldade, pois colocava muita força no pedal, sem necessidade. Depois disso se tornou fácil,sem o constrangimento do começo.

Minha vontade o seu jardineiro.

Muitas vezes na vida precisamos de alguém dizendo você consegue ou acredite em você. Ou às vezes a simples presença, que, aliás, se torna uma presença de qualidade ímpar faz toda diferença. E quando sentimos essa acolhida, o medo vai embora e vamos que vamos…

E foi assim que pedalei… Emociono-me só te lembrar

Antes mesmo de iniciar as aulas, minha vontade era sentir o vento. Aliás, havia várias vontades… No texto que escrevi, falava que o mais importante e saber a direção.

Agora vem essa palavra: vontade.

Durante alguns minutos minha vontade descobriu a direção. Exercitei-me na alegria do meu jardim. Mas não estava sozinha.

Sendo acariciada pelo vento, que bem baixinho dizia: estou aqui. Num belo momento de prazer,fecheios olhos, por alguns instantes… Sem me preocupar com mais nada e sem ter de lutar contra meus pensamentos procurei apenas sentir e saborear.

Ficam aqui registrado, meus agradecimentos para essa Flor chamada Claudia Franco, que é uma presença de qualidade na vida das pessoas! Blog: https://ciclofemini.com.br