Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

Há momentos que tudo não parece funcionar, a vida muitas vezes só chuvisca. Confesso que a minha não é diferente. E como diz a canção: Deixa esse problema à toa. Pra ficar na boa. Vem pra cá!

Dedico esse texto para todos os ciclistas. Em especial, as alunas do CicloFemini, que encontraram alegria e qualidade de vida do lado de cá, da bike.

Do lado de cá

A vida de uma ciclista é uma surpresa, sempre! E uma oportunidade de encontros e descobertas. De superação e novos medos. De risadas e dores. Nascimentos de novas amizades e confirmação da paixão pelo ciclismo.

Tinha motivos para não ter ido pedalar. Mas, ouvi a voz que dizia vem para cá!

Bike não é só pedalar. E preciso apreender a passar as marchas. Aliás, a ignorância nos livra da cegueira, inclusive para aprender andar de bike. Quero aproveitar para relatar frases do tipo que já me disseram: “Você não sabia andar de bike?” “ É preciso ter aulas com uma personal biker” – Andar de bike é um aprendizado constante!

Nos meus outros textos anteriores três palavras ficaram presentes: direção, vontade e escolha. Quem ama o que faz, seja no ciclismo, por exemplo, sempre irá desejar aprender.

Bom, voltando as marchas! Como me assustava saber que havia tantas marchas: 3×8= 24! Qual uso na subida, qual na descida!? E seu corpo e suas necessidades irão dizer qual marcha usar… mas, é fundamental saber sobre marchas.

No fim, vivemos mudando as marchas da nossa vida, que são mais de 24. Portanto procure prever uma subida e mude, foi assim ao subir uma rampa. E acreditem é um aprendizado!

Do lado de cá

Após minha aula, sentei no banco do parque e lá fiquei um tempo. A companhia da Sandra trouxe risadas e boas conversas. Conheci um pouco como está o lado de lá, como está à vida da Sandra! E ao mesmo tempo ficávamos admirando a primeira aula da Fátima! Que deu um show! E olha que a primeira aula nunca é fácil. Depois, conheci outra aluna a Terezinha!

Já no ponto do ônibus, conheço a Dona Nilza! Uma senhora que trabalha como empregada domestica. Disse que iria me ensinar um caminho melhor, que ela faz todos os dias: trêm! Valeu a companhia da Nilza! Que quis pagar minha passagem no trêm! Achei esse gesto dela,muito bonito! Aceitei!

Interessante conhecer essas guerreiras – conhecer um pouco do lado de lá! Acredito que isso seja uma lição para o fim dos julgamentos – conhecer o lado de lá.

Do lado de cá

Tem o vento acariciando seu rosto.

Movimento da bike que te leva a sorrir.

Vontade de pegar uma trilha.

Uma intimidade que já existe entre eu e a bike, simples assim!

Dedico esse texto para todos os caminhantes, que com sua ousadia pulam para o lado de cá! Vida!

Agradeço a Claudia Franco pelo maravilhoso trabalho ! Vale a pena entrar no site: wwwciclofemini.com.br.

Afinal, aprender é sempre bom!