Ciclofemini
Ciclofemini
Ciclofemini

Desde que comecei a pedalar, e tomei a decisão de fazer mountain bike uma das frases que mais ouço da minha Personal biker Claudia Franco é: Olhe para frente. E nesse aprendizado todo percebi que as nuvens são lindas. Ao olhar para frente comecei admirar o céu, as núvens, a paissagem e aumentar a segurança em pedalar.

Nuvens negras

Há momentos na vida que passamos por momentos de nuvens negras, como está desempregado, ter alguém da família doente, ou tantas outras razões. Quem nunca ouviu a expressão: “ Hoje comecei e acabei o dia com uma nuvem negra a pairar sobre a minha cabeça”.

Sim, meus amigos leitores somos nós adultos que nesse mundo caduco, acabamos contaminados com tantas preocupações e no fim fazemos a nuvem negra se tornar algo natural.Será que o medo se torna muitas vezes em nossa vida uma nuvem negra?

Nuvens de descobertas

Nos meus dois últimos treinos, já comecei a sentir o que é ter momentos de adrenalina, rs.

Primeira lição: preciso ter condicionamento físico! Aliás, precisamos trabalhar nosso condicionamento físico, idependente do esporte. E para que isso acontecer precisa ter alguma mudança, traçar algumas metas.

Segunda lição: Alimentação saudavel

Terceira lição: Humildade. O movimento nos leva ao conhecimento, nunca sabemos tudo. Cada aula percebo que tenho  muito que apreender sobre ciclismo.

Quarta lição: O medo existe. Mas, muitas vezes não dá tempo de sentir medo.

Quinta lição: Tive minha primeira queda na bike, com ela parada. E motivo até de graça, mas também de grandes significados, pelo menos para mim.

Sexta lição: Companheirismo. No ciclismo tem isso.  Um caiu o outro ajuda a se levantar, tá díficil pedalar na subida, o outro ajuda com seu apoio, tá díficil o outro ajuda a você ver que é fácil. Minha amiga ciclista Regina, me apoia muito!

Aprendi também como é bom ficar feliz com a felicidade das minhas amigas ciclistas. Que presente foi está nas aulas da Fátima e da Idalina e ver as 02 pedalarem pela primeira vez.

Movimento pela vida

Ao escrever esse texto, impossível não olhar para minha núvem. Está desempregada já poderia provocar aquela nuvem negra. Disse poderia, pois o verbo é “estar” não “ser”.

Nos treinos estou me permitindo a vivenciar muitas coisas. Já havia falado em um texto anterior, de como foi díficil fazer os exercicios dos cones. E no último treino consegui!

Como foi díficil subir a rampa do estacionamento! E que sensação maravilhosa conseguir subir uma rampa de uma fazenda!

Que adrenalina foi descer em pé na bike e ao olhar para frente ver o Fernando vindo à mesma direção. Consegui manter a calma, aliás, conseguimos. E continue minha descida olhando para frente!

Olhando para cada nuvem da minha vida, vou descobrindo e redescobrindo novos sentindos para minha existencia, de como ser um ser humano melhor. Como é bom voltar a olhar as nuvens do Céu! Que lindo contemplar as nuvens do céu! E como é bom saber que ainda consigo ver algum desenho no céus…

Dê uma olhada para as nuvens da sua vida,que tal?