Vários homens se queixam de suas companheiras (esposas, namoradas, amigas) não fazerem companhia a eles nos passeios e/ou treinos de bicicleta e gostariam verdadeiramente que elas se juntassem a eles no pedal.

Muitos deles não percebem que cometem erros neste processo de motivação de suas parceiras. Querendo ajudar acabam piorando a situação porque não observam detalhes importantes para ajudá-las a ingressar no mundo da bicicleta de forma correta e não traumática. Segue alguns erros comuns e as minhas dicas para evitá-los:

1- Bicicleta:

Nada de emprestar a sua bike velha e encostada há anos para a sua parceria só para ver se ela vai gostar de pedalar. É claro que não vai dar certo! Primeiro que uma bicicleta masculina, devido a sua geometria ter sido desenvolvida especificamente para um homem, não ficará confortável para uma mulher. Segundo que o tamanho do quadro também pode não ser adequado, pois para cada estatura deve ser usado um tamanho de quadro de bicicleta. Então comece a sua empreitada escolhendo a bicicleta correta para a sua mulher. Vá a uma loja especializada, nada de bikes montadas, etc. Certifique-se que a marca escolhida oferece modelos femininos e do tamanho correto para a sua companheira.

É comum homens usarem uma bike muito top e a companheira com uma bike muito básica. Durante o pedal o homem exige da mulher o mesmo rendimento! Assim não vale, não é? Fique atento para não incorrer neste erro.

2- Muita paciência:

Se você tem certeza de que a sua companheira está com a bicicleta correta e de que ela está feliz com a mesma, quando sair para um passeio lembre-se do seguinte:

  • Você pedala mais e melhor que ela, portanto não espere grande desempenho de sua parceira. Você deve ir no ritmo dela.
  • Lembre-se que pela experiência você deve ter mais facilidade e domínio na pilotagem da bicicleta, aquilo que óbvio para você, não é para a sua companheira. Não ridicularize, não dê bronca, não dê risada! Apenas a ajude a superar todas as dificuldades por mais simples que pareçam ser.
  • Se ela não domina as técnicas de pilotagem, ensine-a antes de sair para um passeio. Treine, ajude-a. Caso você não tenha paciência, didática ou tempo para ensiná-la, a motive buscar ajuda de uma escola de pilotagem de bicicleta, assim ela aprenderá sem traumas, corretamente e muito mais rápido.
  • Cuidado ao escolher o primeiro passeio. Pense antes de definir o percurso: qual será a quilometragem que ela conseguirá percorrer no primeiro passeio, qual o grau de dificuldade do percurso, qual a experiência dela para o tipo de percurso escolhido. Portanto se ela não tem experiência e nem técnica de pilotagem, comece devagar, vá a lugares fáceis e vá intensificando o grau de dificuldade à medida da evolução de sua companheira.

3- Respeite as diferenças:

É bem certo que inicialmente a sua mulher pedale mais devagar, pois tem menos força, menos experiência. É importante respeitar as diferenças. Não queira que ela pedale tão forte quanto você. Respeite o ritmo de pedalada dela para que você tenha a sua companheira a seu lado.

4- Interesse em comum:

Certifique-se de que a sua companheira também se interessa por pedalar. Mostre para ela os benefícios que a bicicleta trará, não somente para ela e sim para ambos. Mostre o quão importante é a presença dela nos seus passeios de bicicleta. Ajude-a fazer parte de grupos femininos de pedais, acompanhe-a nos primeiros encontros com estes grupos, seja solidário e companheiro.

5- Regularidade, planejamento, persistência:

Junto com a sua companheira planeje os passeios e os treinos que farão juntos. Mantenha a frequência, quanto mais próximos um pedal do outro, mais familiaridade com a bicicleta a sua companheira terá. Sejam persistentes, avaliem os pontos altos e baixos de cada passeio. Trabalhem as dificuldades para que no próximo passeio elas sejam menores. Não desistam, sejam persistentes.

Definam um objetivo para fazerem juntos como um passeio mais longo ou uma cicloviagem. Planejem e treinem para o desafio.

6- A importância do seu papel como agente de mudança:

Você sabia que no Brasil apenas 7% dos ciclistas são mulheres? Este dado é semelhante no mundo todo, com exceção na Dinamarca, onde há um equilíbrio entre homens e mulheres. Portanto o seu papel como influenciador e motivador é extremamente importante para que as mulheres consigam pedalar, para que consigam inserir a bicicleta em seu cotidiano.

Se você cometeu alguns destes deslizes está na hora de rever a situação e dar a vocês uma segunda chance. Nada como um passeio divertido e gostoso para aproximar o casal e fortalecer a relação!

Sucesso e Boa sorte!

Comments(0)

Leave a Comment